segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Cada um de nós vê apenas seu próprio mundo


11. O que é a criação?

1. A criação é a soma de todos os Pensamentos de Deus, em número infinito e sem qualquer limite. Só o amor cria, e só como ele mesmo. Nunca houve um tempo em que aquilo que ele criou não existia. Tampouco haverá um em que qualquer coisa que ele criou venha a sofrer qualquer perda. Os Pensamentos de Deus são para todo o sempre exatamente como eram e tal qual são, imutáveis ao longo do tempo e depois que o tempo acabar.

2. Os Pensamentos de Deus recebem todo o poder que seu próprio Criador tem. Pois Ele quer acrescentar ao amor por sua extensão. Deste modo, Seu Filho compartilha da criação e, por isso, tem de compartilhar do poder de criar. Aquilo que Deus quer que seja Um para sempre ainda será Um quando o tempo acabar; e não mudará ao longo do curso do tempo, permanecendo como era antes que a ideia de tempo começasse.

3. A criação é o contrário de todas as ilusões, pois criação é verdade. A criação é o Filho santo de Deus, pois na criação Sua Vontade é completa em todos os aspectos, tornando cada parte continente do todo. Garante-se a inviolabilidade de sua unicidade para sempre; preservada eternamente dentro de Sua Vontade santa, além de toda possibilidade de dano, de separação, de imperfeição e de qualquer mancha em sua inocência.

4. Nós somos a criação; nós, os Filhos de Deus. Parecemos estar separados e não-cientes de nossa unidade com Ele. Mas, por trás de todas as nossas dúvidas, além de todos os nossos medos, ainda existe a certeza. Pois o amor permanece com todos os seus Pensamentos, porque é deles a certeza do amor. A memória de Deus está em nossas mentes, que conhecem sua unicidade e sua unidade com seu Criador. Permite que nossa função seja apenas deixar que esta memória volte, apenas para permitir que a Vontade de Deus seja feita sobre a terra, apenas para sermos devolvidos à sanidade e para sermos apenas como Deus nos criou.

5. Nosso pai nos chama. Ouvimos Sua Voz e perdoamos a criação em Nome de Seu Criador, a Própria Santidade, Santidade Da Qual Sua Própria criação compartilha; Santidade Que ainda é uma parte de nós.

*

LIÇÃO 321

Pai, só em Ti está minha liberdade.

1. Não entendi o que me libertou, nem o que minha liberdade é e nem onde procurar para encontrá-la. Pai, procurei em vão até que ouvi Tua Voz me orientando. Não quero mais guiar a mim mesmo agora. Pois nem fiz, nem entendi o modo de achar minha liberdade. Mas confio em Ti. Tu, Que me dotaste de minha liberdade como Teu Filho santo, não estarás perdido para mim. Tua Voz me guia e finalmente o caminho para Ti está aberto e livre para mim. Pai, só em Ti está minha liberdade. Pai, é minha vontade voltar.

2. Hoje respondemos pelo mundo, que será libertado conosco. Quão alegres estamos por achar nossa liberdade pelo caminho infalível que nosso Pai estabeleceu. E quão certa é a salvação do mundo inteiro, quando aprendemos que só podemos achar nossa liberdade em Deus.

*

COMENTÁRIO:

Explorando a LIÇÃO 321

Chegamos hoje, novamente, à décima primeira das instruções especiais que buscam orientar as práticas das lições desta segunda parte do livro de exercícios. Desta vez, pelos próximos dez dias a contar de hoje, o tema que vai dar unidade aos nossos exercícios diários é: O que é a criação?

Alguém se anima a dizer o que é a criação? Acredito, como já disse antes, que ela tem um significado diferente para cada um de nós, pois o mundo de cada um de nós, por mais difícil que seja acreditar nisto, é um mundo diferente. Daí todas as dificuldades que temos para conviver uns com os outros. 

Dizendo de outra forma, cada um de nós acha que o mundo que vê é o único que existe e, muitas vezes, não aceita a interferência de outros em seu mundo. Ou não entende que o mundo que o outro descreve é apenas um mundo diferente, uma vez que, na prática, para os que se veem separados, não há dois mundos iguais. Mais interessante ainda, é se pensar que, a partir do que o Curso ensina, na verdade, não há nenhum mundo. Como responder, pois, à pergunta: O que é a Criação?

É claro que uma resposta que atenda e integre todas as diferenças aparentes dos mundos todos que cada um de nós cria só pode ser aquela dada ao longo do texto introdutório à primeira das dez lições que praticaremos a seguir: "Nós somos a criação". Isto é, todos e cada um de nós, na unidade com Deus. Nós somos o Filho de Deus, os Pensamentos d'Ele, aparentemente separados, mas, na verdade, compartilhando uma unidade e uma completude que não pode jamais ser ameaçada. 

É também interessante pensar em que momento se deu, ou se dá a Criação. E aqui também o Curso nos leva a pensar de modo diferente do que pensa o mundo. Pois nunca houve um momento em que a criação não existisse. Nem há ou haverá também nenhum momento em que a criação vai acabar. Como lidar com isso, então? 

Lembrando-nos de que a cada instante, a cada despertar, o mundo se cria novo, com todas as possibilidades renovadas. Basta abrirmos os olhos para perceber que aquilo que vemos é sempre novo a cada momento e que não há uma experiência que se repita da mesma forma. Não há uma pessoa que encontremos em algum momento que seja a mesma que vamos encontrar em outro momento mais tarde. 

Isto é, a Criação é agora. Acontece em todos os "agoras', quando estamos presentes, conscientes de que estamos criando em Deus, com Ele, se nossa atenção e se aquilo que somos está vivendo integralmente o momento que se apresenta para ser vivido. 

Mas, para tanto, precisamos da liberdade que pensávamos perdida e que só podemos achar em Deus. Isto é, rendendo-nos à ideia de que a Vontade de Deus e a nossa são uma só e que, conforme nos ensinava a lição de ontem, não há nenhum limite para a nossa força, para a nossa paz, para nossa alegria e para qualquer dos atributos que Deus deu ao nos criar, uma vez que só n'Ele podemos ser, só com Ele podemos criar e existir. É esta liberdade que a ideia que praticamos hoje busca nos devolver. 

Às práticas?

Um comentário:

  1. As diferenças e a singularidade de cada um na Unidade. Um abraço!

    ResponderExcluir